De acordo com a jornalista Fábia Oliveira, a cantora Pabllo Vittar estaria sendo processada por um suposto plágio. O alvo seria a música "Ama, Sofre, Chora", do álbum "Batidão Tropical", de 2021. O processo corre na 43ª Vara Cível da Comarca de São Paulo. O compositor Herlomm Diosly dos Reis Silva pede uma indenização por danos morais e materiais, alegando que o hit de Pabllo teria plagiado a sua canção, "Amar, Sofrer, Chorar".

A Sony Music e os compositores Arthur Pampolin Gomes, Arthur Simões Magno Marques, Guilherme Santos Pereira, Pablo Luiz Bispo e Rodrigo Pereira Vilela dos Santos também estariam sendo citados na ação. O valor do suposto processo poder chegar até R$ 1 milhão. O compositor também pede que o valor de danos morais seja dez vez maior que os materiais. 

Herlomm teria registrado a melodia da música em junho de 2019, em uma plataforma chamada "musicasregistradas.com". O clipe da canção foi publicado no YouTube em 1º de outubro de 2020. Já Pabllo Vittar subiu a música para a plataforma em janeiro de 2021. 

Em sua coluna do Splash, da Uol, o jornalista Lucas Pasin informou que Herlomm, no processo, afirma que "identificou trechos com o mesmo sentido da composição original, de sua autoria, não só no título e melodia, estes praticamente idênticos, como também, no sentido literário, pois ambas falam de amor não correspondido, onde uma pessoa ama outra que a ignora".

Pasin também afirmou que Herlomm pede para que seja realizado um ofício ao ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) e ABRAMUS (Associação Brasileira de Música e Artes), a fim de que enviem um relatório dos ganhos sobre a música "Ama, Sofre, Chora". O compositor quer receber os royalties, pedindo que ele recebe sua parte em cima de show, programas de televisão e outras reproduções.