O pesquisador Felix Krause, revelou recentemente que ao acessar os aplicativos do Facebook e do Instagram, o usuário não seria direcionado para seu navegador de escolha, mas sim para um personalizado. Isso aconteceria porque esses navegadores utilizam de um código javascript para que o Meta possa rastreá-los pelos sites

Através de uma publicação em seu blog, Felix contou que “o Instagram injeta seu código de rastreamento em todos os sites mostrados, inclusive, quando clicamos nos anúncios, fazendo com que seja possível que a empresa monitores todas as interações do usuário, como cada botão e link acessado, seleções de texto, capturas de tela, e também quaisquer entradas de formulário, como senhas, endereços e números de cartão de crédito”.

A fórmula valeria, também, para o Facebook, onde a pesquisa do rapaz se concentrou nas versões iOS dos aplicativos. Segundo ele, isso seria essencial já que a Apple concede que os usuários entrem e saiam do rastreamento de plataformas quando abrem um app pela primeira vez.

Um porta-voz do Meta, chegou a se pronunciar para o jornal The Guardian, afirmando que: “O código nos permite agregar dados do usuário antes de usá-lo para fins de publicidade direcionada ou medição. Nós não adicionamos nenhum pixel. O código é inserido para que seja possível agregar eventos de conversão de pixels. Para compras feitas através do navegador, procuramos o consentimento do usuário para guardar informações de pagamento para preenchimentos automáticos”.