Alguns parceiros antigos do Twitter, como a Anti-Defamation League, estão com ‘medo’ de Elon Musk. O motivo? Recentemente o bilionário retirou o banimento permanente de famosos como Donald Trump e Ye (anteriormente Kanye West). A organização classificou o ato como “perigoso e inconsistente”, além de citar o retorno do músico “preocupante”.

 

 

Jonathan Greenblatt, diretor na ADL, disse que “as decisões de Musk no mês passado levantaram sérias preocupações”: “Esta decisão é perigosa e inconsistente com o que Musk havia indicado anteriormente ao nosso grupo. Isso nos obriga a pensar se ele está falando sério sobre proteger a plataforma do ódio, do assédio e da desinformação”, declarou.

Antes de liberar a conta do ex-presidente dos Estados Unidos, o homem mais rico do mundo abriu uma enquete questionando se Trump deveria ou não ter permissão para voltar à rede social. A pesquisa recebeu mais de 15 milhões de votos: o republicano ganhou de 52% a 48%. Por outro lado, Musk informou em sua conta que o Twitter vive um excelente momento.

Ele divulgou um relativo mostrando que a plataforma ganhou 1,6 milhão de novos usuários ativos na semana passada: “O Twitter adicionou 1,6 milhão de usuários ativos diariamente na semana passada, outro recorde histórico. Isso vai melhorar muito à medida que o Twitter se torna mais rápido de usar fora da América do Norte, Europa Ocidental e Japão”, escreveu.