A plataforma de streaming Netflix informou que pretende expandir as medidas para conter o uso de contas em endereços compartilhados para impedir que uma mesma senha seja compartilhada por diferentes. O anúncio da empresa partiu do relatório financeiro do quarto trimestre de 2022, que foi revelado nessa última quinta-feira (19). As informações são do Tecnoblog, especializado em tecnologia.

Através do documento produzido, a empresa verificou que a prática “prejudica nossa capacidade de longo prazo de investir e melhorar a Netflix, bem como de desenvolver nossos negócios”. A partir dos dados coletados, a companhia verificou a necessidade de tomar medidas no sentido de evitar que os usuários emprestem contas para amigos e afins.

As medidas de contenção implementadas pela empresa já estão em ação em alguns países da América Latina desde junho do ano passado. “Embora nossos termos de uso limitem o uso da Netflix a uma família, reconhecemos que essa é uma mudança para membros que compartilham suas contas de forma mais ampla”, informou a empresa em comunicado.

Cobrança por endereço extra
O comunicado da plataforma de streaming não apresenta muitos detalhes técnicos sobre a aplicação do recurso, mas a empresa indica que o padrão poderá ser semelhante ao que já foi aplicado na América Latina. O modelo já utilizado oferece uma opção para adicionar endereços extras para assistir aos conteúdos da plataforma. O sistema é liberado mediante a uma taxa por endereço cadastrado, que chega varia entre R$ 9 e R$ 16 nos países que estão lidando com o experimento.