Elon Musk anunciou, nesta semana, que não vai mais permitir contas no Twitter que façam imitação de pessoas públicas e não deixem claro que se tratam de uma paródia. A controvérsia apareceu no fim de semana, quando a plataforma passou a aceitar que usuários pagassem para obter o selo de verificação -- e muitos deles passaram a imitar o bilionário na rede social recém adquirida por ele.

"Daqui para frente, qualquer usuário do Twitter envolvido em imitações sem claramente especificar "paródia" será permanentemente suspenso", escreveu Musk em sua conta pessoal. "Anteriormente, nós enviávamos um aviso antes da suspensão, mas agora que liberamos amplamente a verificação, não existe mais aviso", ponderou.

Em seguida, Musk também informou que qualquer mudança de novo fará com que o selo de verificação seja temporariamente retirado do usuário. "Isso será uma condição para se tornar assinante do Twitter Blue", afirmou o empresário, referindo-se ao programa de exclusividade do Twitter que dá ferramentas extras aos pagantes que, por enquanto, foi liberado apenas no exterior.

Perfis que tiravam sarro de Elon Musk e suas determinações após a compra do Twitter foram rapidamente retirados do ar. Outros não chegaram a tal ponto, recebendo apenas um selo de "imitação". A nova decisão de Musk fez com que boa parte dos usuários apontasse controvérsias no discurso de 'liberdade plena de expressão' tão defendido pelo bilionário.