Elon Musk começou a dar seu depoimento em julgamento onde é acusado de enganar acionistas da Tesla, empresa da qual é presidente-executivo, com dois tweets feitos em 2018 a respeito do suposto financiamento para fechar o capital da empresa.

Os acionistas da empresa acusam Musk de fraude por informar publicamente sobre o suposto financiamento que nunca se concretizou. Em seu testemunho, o bilionário foi questionado sobre o uso do Twitter, rede social comprada por ele em outubro.

Musk afirmou em juízo que o Twitter é, em sua visão, a forma mais democrática de se comunicar, mas afirmou que nem sempre suas falas na rede social afetam as ações da Tesla da forma como ele imagina. "Não é porque eu tuíto algo que as pessoas acreditam ou agem de acordo", comentou o bilionário perante o juri do tribunal em San Francisco, na Califórnia.

O depoimento de Elon Musk, no entanto, durou apenas cerca de 30 minutos. A sessão foi adiada para segunda-feira. Até o momento, ele não foi questionado sobre os dois tweets de 2018, alvo da disputa com os acionistas da Tesla. Na época, ele afirmou ter apoio de investidores sauditas para fechar o capital da empresa e tirá-la da Bolsa de Valores.