Na última sexta-feira (13), o Bradesco informou que a sua subsidiária Bradesco Financiamentos verificou um incidente que pode ter exposto dados de 53 mil clientes. A visualização ilegal deixou a mostra contratos de financiamento de veículos. O banco comunicou que o problema não afetou outras áreas da empresa. 

"Ressaltamos que a característica dos dados eventualmente visualizados não coloca em risco a integridade de acesso a sistemas transacionais desses clientes junto à Bradesco Financiamentos. O Bradesco reforça seu compromisso com a transparência e a segurança dos dados de seus clientes", declarou a empresa.

Após a divulgação do ocorrido, o Bradesco não voltou a se manifestar sobre como houve a invasão em sua plataforma. Anteriormente, em fevereiro, o Banco Central também alegou um vazamento de dados, na época envolvendo quem tinha chaves vinculadas ao PIX. 
 

Cibercrime 

O vazamento de dados como ocorreu com o Bradesco Financiamentos têm sido uma constante nos últimos anos e virou uma dos principais temores de quem lidera empresas. Segundo reportagem do Estadão no último ano, houve enormes perdas em todo o planeta por conta de ciberataques. Estima-se que US$ 6 trilhões foram perdidos, de acordo com pesquisa organizada pela consultoria alemã Roland Berger.