Nesta quarta-feira (15), a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro confirmou o primeiro caso de varíola de macacos no município. Segundo a pasta, se trata de um homem, de 38 anos, residente de Londres. Ele teria desembarcado no Brasil no dia 11 de junho.

De acordo com a Secretaria, ele procurou atendimento médico no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz) no dia seguinte. O resultado foi confirmado na terça-feira (14). O paciente está com sintomas leves. O homem segue em isolamento domiciliar e sob o monitoramento da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS-Rio). As cinco pessoas que tiveram contato com o paciente também são monitoradas. 

O vírus da varíola dos macacos é da mesma família da varíola comum. Porém, é menos grave e prevalente. Dessa forma, as chances de infecção de grandes populações são consideradas baixas. A transmissão acontece quando alguém tem contato próximo com uma pessoa contaminda. O vírus pode entrar no corpo por meio de lesões na pele, sistema respiratório ou pelos olhos, boca e nariz.

Após a infecção, os sintomas demoram, geralmente, 5 a 21 dias para surgir. Eles tendem a ser leves e desaparecem por conta própria depois de cerca de três semanas. A varíola dos macacos já se espalhou por mais de 30 países. No Brasil, o primeiro caso foi confirmado na cidade de São Paulo. O paciente é um homem, de 41 anos, que viajou à Espanha.