A Covid-19, por mais que não seja uma IST (Infecção sexualmente transmissível), pode ser transmitida durante relações íntimas, incluindo atividades sexuais. Já é fato que a possibilidade de contrair a doença aumenta quando se está em um ambiente com uma pessoa infectada, mas essas chances se intensificam ainda mais durante o beijo e distâncias menores entre as pessoas.

O risco de contrair o vírus não envolve, necessariamente, o ato sexual em si, mas sim a proximidade entre os envolvidos. O vírus se espalha por gotículas respiratórias e também podem ser inaladas por pessoas próximas que estavam saudáveis, fazendo com que uma pessoa saudável contraía a doença durante o beijo e atos sexuais.

Até o momento, cientistas não encontraram evidências de que o sêmen ou fluidos vaginais possam transmitir o vírus, porém, segundo o site "Mayo clinic", o sêmen pode conter resquícios do vírus. “O vírus foi detectado no sêmen de pessoas que têm ou estão se recuperando do vírus. Mais pesquisas são necessárias para determinar se o vírus da covid-19 pode ser transmitido sexualmente”, explicou o portal. 

Por mais que a doença não seja transmitida pelos fluidos, a Covid-19 pode ser transmitida por fezes humanas. “É possível que você pegue o vírus da covid-19 em atividades sexuais que o expõem a matéria fecal”, alertou o centro de pesquisa sobre o risco de praticar alguns fetiches sexuais com pessoas infectadas.