O Ministério da Saúde divulgou, na noite da última segunda-feira (1), uma nota técnica recomendando que grávidas, mulheres que tiveram parto há 45 dias, e as lactantes (que amamentam) devem usar máscaras, em locais com possíveis infectados com monkeypox, a chamada varíola dos macacos.

A nota recomenda, ainda, que mulheres nessas condições devem usar preservativo em qualquer tipo de relação sexual. As orientações do Ministério da Saúde visam frear a contaminação pelo vírus, principalmente na gravidez. As recomendações dizem que grávidas, puérperas, ou que amamentam devem se manter afastadas de pessoas com sintomas suspeitos, como febre e lesões na pele.

Também devem evitar contato sexual com pessoas que tenham lesões na área genital. Em caso de sintoma suspeito, é importante procurar atendimento médico. Gestantes que tiveram contato com positivados e estejam assintomáticas, devem ficar isoladas em casa, por 21 dias, sem visitas, caso tenham testado positivo para a doença.

Grávidas que apresentam sintomas da doença e tiverem testado negativo, ainda assim, devem ficar isolada por 21 dias. Um novo exame deve ser feito, se os sintomas persistirem. Em caso de positivo para monkeypox, a hospitalização é recomendada. A nota alerta que em casos de parto com mãe infectada pela varíola dos macacos, a via cesárea não é indicada. Em casos leves da doença, também não é preciso a antecipação do parto. Para a amamentação, é preciso analisar cada caso.