A dengue voltou a preocupar as autoridades brasileiras. Segundo o Ministério da Saúde, os casos da doença no país este ano aumentaram 43,9% em relação a 2021. Só no período entre 2 de janeiro e 12 de março de 2022 foram 161.605 casos. As cidades com maior número de infectados por 100 mil habitantes são Goiânia, com 1.069 casos por 100 mil habitantes, e Brasília, com 344,3 casos por 100 mil habitantes. Na capital federal, de acordo com a secretaria estadual da saúde, o aumento entre os dois anos foi de 348,1%.

Em Araraquara, no Interior de São Paulo, o município já registrou mais de 1,4 mil casos em 2022. Em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, a Prefeitura decretou estado de emergência em razão da doença. Também há cidades em situação preocupante em outros estados, como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

E o momento exige ainda mais cuidado por parte da população. O período entre janeiro e o fim de março, marcado pelas chuvas de verão, costuma ser um momento crítico no crescimento da doença – locais com água empossada, como garrafas e pneus, são os principais focos do mosquito Aedes aegypti.

Prevenção simples e barata

             A boa notícia é que existem formas simples e baratas de se prevenir contra a dengue. Além de evitar possíveis focos, a utilização de água sanitária é uma medida eficaz para acabar com os focos da doença, pois o produto combate as larvas do Aedes aegypti. A água sanitária deve ser aplicada em potenciais criadouros, ajudando a evitar a proliferação do mosquito.

De acordo com Cristiano Corrêa, CEO da Ecoville, empresa especialista em limpeza, uma excelente opção para esta aplicação são as Águas Sanitárias Premium. “Com maior poder ativo do que a água sanitária comum, o produto desinfeta, tem ação bactericida e conta com um componente específico para o combate às larvas do mosquito da dengue. A utilização de 2 ml de água sanitária por litro de água é suficiente para o combate das larvas do Aedes”, explica.