O aumento dos casos da dengue no Brasil se deve a um fator socieconômico, segundo afirma Alexandre Naime, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia. Neste ano, houve um crescimento de 135% dos casos registrados nos quatro primeiros meses se compararmos com o mesmo período de 2021. 

"Dois estudos publicados esse ano já analisaram cidades distintas do Brasil onde há uma relação direta entre queda de renda e aumento no número de casos de dengue", disse Naime à CNN Rádio. Lembrando que a dengue somente é contraída através da picada do mosquito Aedes aegypti, que se prolifera em ambientes com água parada. 

O infectologista ressaltou o problema do saneamento básico, algo que afeta diversas famílias brasileiras que vivem próximas de rios. "São pessoas que vão morar em locais menos propícios a ter saneamento básico de qualidade, próximos de rios, passaram a ter menos condição de fazer uma limpeza correta da casa e vão ter que acumular lixo ou material de reciclagem por terem perdido o emprego", diz. 

Houve também a descoberta de uma nova cepa da dengue no Brasil nunca antes vista, que é mais contagiosa. "Além de mais transmissível, essa variante do vírus provoca formas mais graves da doença, com fenômenos hemorrágicos e de queda de pressão arterial", declara Naime. Até então, a cepa chegou a ser confirmada somente em um caso no país, registrada em um morador de Aparecida de Goiânia, em Goiás.