Depois de empatar com o Ceará, por 1 a 1, em jogo atrasado, o São Paulo já se prepara para ir até Salvador nesta semana, para o jogo de sábado (28), contra o Bahia, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.  A zaga deve causar bastante problema para Fernando Diniz, que vive um impasse com Bruno Alves, que foi cortado da delegação por ter tido contato com um familiar infectado, mesmo que um primeiro exame no jogador, realizado no início da semana tenha dado negativo.

 

 

O debate se dará por causa da suspensão do zagueiro Diego Costa, que assumiu a vaga do titular contra o Ceará, na última quarta. A necessidade, porém, pode fazer com o São Paulo afrouxe uma regra preventiva que evitaria o deslocamento do zagueiro à Bahia.

 

 

Se não puder contar com o zagueiro, o treinador pode ter mais quatro opções: Arboleda, que perdeu prestígio com Fernando Diniz por atuações irregulares, e com a diretoria, por indisciplina, e o jovem Rodrigo, que tem apenas dois jogos pelo time profissional.

 

 

Além da dupla que já é da posição, o comandante poderia utilizar Luan ou Tchê Tchê improvisados para formar a dupla com Léo, que fará o terceiro jogo seguido como titular após perder a vaga justamente para Bruno Alves. A definição sobre Bruno Alves será do departamento médico e depende, primeiro, de o resultado do exame ser negativo.

 

 

"A gente só está tendo sucesso nos casos de Covid por conta do excelente trabalho que está sendo desenvolvido pelo nosso departamento médico, de maneira especial o Doutor (Carlos) Sanchez, que é quem está pilotando isso. A gente vai ver com o doutor para ver o que ele acha melhor, para ver se vale a pena trazer o Bruno ou não nessas condições. Esperar sair o exame, se precisa de uma janela maior para não colocar ninguém em risco. Mas amanhã ou depois de amanhã a gente vai saber disso", afirmou Diniz após o jogo contra o Ceará.