arrow_drop_down
search
Divulgação/Vasco

Futebol Vasco

Ramon faz Cláudio Winck esquecer propostas de fora e permanecer no Vasco em 2020: "Minha cabeça está aqui"

Lateral-direito estava fora dos planos no início do ano, mas deve ganhar oportunidades na volta aos gramados agora sob a batuta de Ramon Menezes, com quem teve contato durante duro momento em que treinou separadamente em São Januário

Bolavip

Divulgação/Vasco

Divulgação/Vasco (Foto: Divulgação/Vasco )

Anteriormente auxiliar do Vasco da Gama, Ramon Menezes ganhou o respaldo da diretoria após a saída de Abel Braga e foi integrado como novo técnico do clube para a sequência da temporada. Craque cruz-matino da década de 1990, o hoje mentor vem observando de perto o plantel que tem às mãos e já comecçou a tomar decisões contundentes nos bastidores, sempre com o diretor André Mazzuco e o presidente Alexandre Campello de perto. 

Uma das decisões vitais de Ramon foi a reintegração de Cláudio Winck, que estava treinando em separado no time carioca. Agora, o lateral-direito faz parte dos planos da comissão técnica e acirra a disputa por um vaga como titular no setor, hoje ocupado por Yago Pikachu. Em entrevista exclusiva ao Bolavip Brasil, o ala falou sobre o tempo afastado e rasgou elogios ao comandante.

Divulgação/Vasco

"Ele realizava os treinos dos atletas que estavam afastados, que treinavam em separado do restante do grupo. Nós conversávamos bastante, sim. Ele sempre me mantinha motivado e focado, sempre me incentivando a seguir com o meu trabalho, me mantendo preparado para aproveitar uma oportunidade quando ela chegasse. É um treinador muito capacitado e tenho certeza de que tem todas as condições de fazer um excelente trabalho pelo Vasco", revelou Winck.

 

Ao ser questionado sobre a concorrência com Pikachu e outras joias do clube, Winck salientou que será uma disputa saudável, sempre com o objetivo de auxiliar o Vasco dentro de campo. "Acredito que a disputa saudável é benéfica para o clube, que acaba ganhando com dois ou mais atletas qualificados para a posição. Assim o time fica bem servido na posição, sempre tendo alguém qualificado para assumir em caso de suspensão, lesão ou qualquer outra coisa".

 

Durante a entrevista, Winck, de 26 anos, ainda revelou que recebeu ofertas para sair, mas preferiu permanecer poelo projeto re reconstrução do Vasco, adotando a mesma postura do capitão Leandro Castán. "Alguns clubes de fora do país entraram em contato para sondar e até chegaram a fazer propostas, mas eu preferi ficar e acreditar no projeto do Vasco. Minha cabeça está aqui e em retomar essa temporada para que possamos alcançar nossos objetivos como grupo, e nossos objetivos pessoais também", salientou o ala, que tem vínculo até dezembro no CT do Almirante.

Confira outros trechos da entrevista com Cláudio Winck:

BV: Como você se sente com a reintegração no Vasco? Já conversou com o Ramon, como é o trabalho dele e, de que forma, pode ser melhor que os antecessores (Abel e Luxemburgo), que não o usaram? 

R: "Acredito que o Ramon é um grande profissional e que se preparou muito para assumir esse desafio. Ele conhece o Vasco muito bem e tem tudo para ser bem sucedido como nosso treinador. Estamos prontos para ajudá-lo e conseguir contribuir da melhor maneira possível". 

BV: Acha que o Vasco precisava dar uma investida em um treinador mais jovem? 

R: "Acho que não tem a ver com idade, e sim com filosofia e metodologia de trabalho. O Ramon chega com gás novo para que possamos fazer um bom trabalho, estamos prontos pra ajudar".

Temas:

Leia também


Comentários

Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.