arrow_drop_down
search
Palmeiras vivencia ponto de virada em busca de sequência de vitórias

Futebol Palmeiras

Palmeiras vivencia ponto de virada em busca de sequência de vitórias

Alviverde apresenta mudanças em sua postura ofensiva, contra o Botafogo, no Estádio Nilton Santos, tem a oportunidade de consolidar funções e padrão de jogo

Bolavip

Palmeiras vivencia ponto de virada em busca de sequência de vitórias

Palmeiras vivencia ponto de virada em busca de sequência de vitórias

Ao vencer o Ceará no último final de semana, o Palmeiras atingiu um ponto de equilíbrio entre vitórias e empates desde que retomou as atividades no período pós-quarentena. Tal equilíbrio citado aqui reflete a característica de um time que não perde, mas encontra certas dificuldades em consolidar triunfos. No âmbito geral, considerando a jornada do Palmeiras no período de retomada após um meteoro chamado Covid-19, o time realizou 21 jogos, com apenas uma derrota (primeiro jogo da retomada, contra o maior rival), 10 empates e 10 vitórias.

A vitória sobre o “Vovô” de Fortaleza quebrou uma série de três empates indigestos no Campeonato Brasileiro e alçou o Palestra para a 3ª colocação da tabela. No jogo, foi possível ver a confirmação de Raphael Veiga e Wesley como agentes ofensivos. O meia apresentou ativa participação na criação de jogadas, inclusive com grande presença na área. Já Wesley, nos últimos jogos, demonstra ser a melhor opção ao ataque, pois leva efetivo perigo aos adversários.

Wesley e Raphael Veiga deram poder ofensivo ao Palmeiras. (Foto: César Greco/Ag. Palmeiras)

 

No momento em que começa a pegar corpo e definições, o Brasileirão já desenvolve seus rankings. Claro que números não fazem do futebol uma ciência exata. O charme do esporte reside justamente no imponderável, mas os números balizam tendências e são capazes de apresentar diagnósticos e sugestões de caminhos a seguir.

O Palmeiras, que parece ter empates como sina, na verdade, segue o roteiro de um campeonato que tem 34% de empates em suas partidas jogadas, 42% de vitórias de mandantes e 24% de jogos que tiveram como vencedor o time visitante. Percebe-se que empatar é o perfil de grande parte dos times do Brasileirão 2020.

Nas 13 rodadas até aqui, o Verdão se destacou como o segundo time com média de 17 desarmes por jogo, é o terceiro em média de finalizações, com 11 por jogo, atrás do São Paulo com 11,5 e do Atlético-MG, que apresenta média de 13. Surpreende o Palmeiras como 3º finalizador da competição, pois contraria as fortes críticas que cornetaram a incapacidade do time em chegar ao gol adversário. Agora, nas últimas duas partidas, a intensidade pedida por Luxemburgo aconteceu. Do segundo tempo contra o Bolívar pela Libertadores à partida contra o Ceará, é possível afirmar que o time conseguiu exercer pressão. 

O toque de bola improdutivo deu lugar a outras preocupações. A meta agora é aperfeiçoar a finalização. Com Raphael Veiga e Wesley, o time tem pisado na área adversária para finalizações com mais frequência, a partir daí, faz mais sentido a função de Willian, pois se trata de um jogador que de maneira versátil complementa o poder de fogo do Verdão.

Willian Bigode é o artilheiro do Palmeiras na temporada. Jogador incansável e versátil, fundamental para a articulação do ataque Palestrino (Fiti: César Greco/Ag. Palmeiras)

 

Esse ponto de virada em que o Palmeiras passa de inofensivo para um time com mais objetividade, provoca ansiedade para uma volta rápida de Luiz Adriano ao ataque. Antes isolado e à míngua na área à espera de conexão, o camisa 10 poderá contar com um poder ofensivo de formato mais efetivo. Impressões e análises, que primam pela razoabilidade, indicam que a linha atacante de raça deve contar com Wesley, Luiz Adriano e Willian. 

Embora seja notável a evolução de Rony, o camisa 11 ainda está abaixo dos três citados. Gabriel Veron ainda urge de uma lapidação mais apurada, pois, mesmo com potencial promissor, oscila. Todo cuidado é pouco para a fixação de Veron na equipe, tanto pela série de lesões que sofre, quanto pela exposição aos palmeirenses insensatos que proferem críticas exageradas e ataques nas redes sociais a um jogador que já realizou boas partidas. É a nocividade dos tempos, em que alguém é capaz de abalar profissionais através do insulto, afinal, convenhamos, não é razoável perseguição a Veron.

Após várias partidas onde era impossível identificar um DNA, com dificuldades de conferir personalidade ao time, bem como eleger o homem de criação, Vanderlei Luxemburgo agora tem duas possibilidades distintas para escalar o meia de ligação alviverde. 

O profexô pode escolher pelo jogo de Lucas Lima, mais construtivo no meio e de guarida para o setor defensivo, partindo da ponta como elemento a provocar jogadas, como também optar por Veiga, homem com participação mais letal dentro da área ou nos perigosos chutes de longa distância. O dilema de Luxa começa nesta quarta-feira (07) ao enfrentar o Botafogo pela 14ª rodada do Brasileirão, quando Lucas Lima volta a ficar à disposição.

O Palmeiras vai para o jogo desfigurado de sua formação habitual, pois não contará com quatro jogadores que se apresentaram às seleções sul-americanas para a disputa das Eliminatórias da Copa. Weverton e Gabriel Menino (Brasil), Matinas Viña (Uruguai) e Gustavo Gómez (Paraguai). Jaílson e Bruno Henrique são substituições automáticas, de praxe, Gómez também deve ser substituído sem sustos por Luan. Já na lateral esquerda, o “B.O” preocupa.

Esteves é a revelação da base para a lateral-esquerda Alviverde, porém, lesionado, ainda segue em transição entre a parte física e técnica, não deve substituir Vinã (Foto: César Greco/ Ag. Palmeiras)

Lucas Esteves, outra promissora revelação da Academia, deveria entrar no lugar de Viña. Com a saída de Diogo Barbosa, virou o substituto imediato, porém ainda se recupera de lesão. A solução provável será chamada da base, Renan, zagueiro do Sub-20, deve cobrir o setor. 

Mas como a vida surpreende, existe a possibilidade de Gustavo Scarpa jogar na lateral esquerda, como publicado por Rafael Belmont aqui no Bola Vip Brasil. Neste caso, se prosperar o inusitado, a solução encontrada resolverá o problema da vacância de Viña e a insatisfação de muitos em ver um jogador sempre valorizado sem utilização. Scarpa na lateral esquerda não é algo sobrenatural, o jogador atuou por diversas vezes na posição quando estava no Fluminense e no Red Bull Brasil. Luxa também realizou trabalhos técnicos com o camisa 14 prevendo a necessidade da improvisação.

Gustavo Scarpa pode ser opção para substituir Matinas Viña. Não se espante, o jogador já atuou na posição (Foto: César Greco/Ag. Palmeiras)

Na busca da afirmação do ponto de virada que objetiva uma sequência de vitórias no Brasileirão, aqui vai o pitaco da escalação desta quarta-feira (06) contra o Botafogo: Jaílson; Marcos Rocha, Felipe Melo, Luan e Renan (Gustavo Scarpa); Patrick de Paula, Bruno Henrique e Raphael Veiga; Wesley, Rony e Willian.

Temas:

Leia também


Comentários

Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.