arrow_drop_down
search
Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC/Divulgação

Futebol São Paulo

Kaká exalta jovem do São Paulo, mas faz pedido à torcida sobre comparações; ídolo é direto sobre trabalho de Fernando Diniz

O ex-meia concedeu entrevista para um programa de TV nesta semana e se manifestou sobre as comparações com um jovem do São Paulo

Bolavip

Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC/Divulgação

Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC/Divulgação

Nos últimos anos, virou 'chavão' no futebol brasileiro que jovens jogadores surgidos das categorias de base sejam comparados a craques que tiveram carreira de sucesso. A única coisa que muda na escolha do ídolo a ser apontado neste comparativos é o time do coração dos torcedores. No São Paulo, Kaká constantemente é utilizado como espelho para os garotos. 

A história não é diferente nos dias atuais. Os são-paulinos têm criado muitas comparações envolvendo o ex-jogador com o jovem Igor Gomes. O meio-campista, de 21 anos, se consolidou entre os profissionais no ano passado e, apesar de demonstrar grande potencial, já conviveu com altos e baixos, algo ainda normal para a idade.

Igor Gomes: comparado a Kaká (Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC/Divulgação)

Os torcedores costumam comparar desde a aparência da dupla quanto o estilo de jogo. Nesta semana, em entrevista ao programa Jogo Aberto, da Bandeirantes, Kaká foi entrevistado e questionado sobre a relação que os torcedores fazem com Igor Gomes. O ex-meio-campista elogiou as qualidades do atual camisa 26, mas pediu para a torcida minimizar as comparações. 

"O Igor é realmente muito talentoso, em muitos momentos ele lembra, mas eu concordo com você, Renata (Fan, apresentadora), de não fazer essas comparações, porque acho que não é saudável, principalmente para ele. Eu já tenho a minha história, sei que muita gente busca essas referências para comparar, mas o Igor com certeza vai fazer uma história linda no São Paulo e no futebol, e é um jogador extremamente talentoso", disse. 

Kaká ainda foi questionado com relação a Fernando Diniz e foi direto, apontando a continuidade dos técnicos no comando como dever dos clubes. "Hoje, a gente vive num futebol cada vez mais imediatista, então isso é cada vez mais difícil para um treinador. Acho que é fundamental você manter pelo menos uma ideia, uma filosofia de jogo, uma cultura de jogo. Muito legal manterem o Fernando, começa o ano já trabalhando e aí, aos poucos, você vai vendo os resultados", avaliou.

Temas:

Leia também


Comentários

Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.