arrow_drop_down
search
Hora da verdade: os bastidores do acordo salarial do plantel do Grêmio

Futebol: Mais notícias

Futebol Grêmio

Hora da verdade: os bastidores do acordo salarial do plantel do Grêmio

Chega de acreditar em fake news sobre o assunto. Esta coluna vai servir para tirar todas as suas dúvidas sobre a reunião interna que definiu o pagamento dos vencimentos dos atletas em meio à pandemia de Covid-19

Bolavip

Hora da verdade: os bastidores do acordo salarial do plantel do Grêmio

Hora da verdade: os bastidores do acordo salarial do plantel do Grêmio

Nos últimos dias, muito se especulou, espalhou e viralizou sobre o acordo salarial entre o presidente Romildo Bolzan Jr e a diretoria com o elenco do Grêmio. Por conta disso, fui atrás de coletar as reais informações sobre o que foi decidido neste momento em meio à pandemia do novo Coronavírus. 

Nesta coluna de hoje, prefiro deixar as informações em forma de tópicos para dar o ar exato de veracidade a cada "pecinha" apurada nos bastidores do CT Luiz Carvalho. Fiquem atentos para não perder nada, hein? 

Conversei com uma peça importante do futebol no Grêmio, que me revelou bastidores e deu informações importantes sobre o acontecido. É o seguinte: 

  • O Grêmio, além de ser um clube sanado, trabalha com praticamente o mesmo plantel, presidente e diretoria desde 2014;
  • Diretoria, plantel de jogadores e o clube, como um todo, trabalham com excelente sintonia e entendimento entre TODAS as partes;
  • O departamento jurídico gremista é reconhecido pelo trabalho que faz em diferentes casos e situações. Não reduziria salários, pois sabe o risco que tem; 
  • A diretoria entende que a situação financeira favorável do clube muito se deve aos títulos que este plantel vem conquistando nos últimos anos. A relação de confiança e admiração vem de ambas as partes; 
  • Os jogadores confiam cegamente no que a direção fala e promete, pois sabem que será cumprido. A relação é de PLENA confiança. Tudo que foi prometido pelo presidente e seus pares sempre foi cumprido; 
  • Não aconteceram várias reuniões para debater o assunto. O acerto ocorreu “de primeira” Tanto para o corte nos direitos de imagem quanto salários;
  • No acordo, os jogadores fizeram uma exigência: não demitir e nem reduzir os salários de NENHUM dos 350 funcionários do clube. Isso FEZ parte do acordo
 
  • O acordo partiu da direção gremista que, em nenhum momento, solicitou corte sem pagamento depois. A proposta sempre foi postergar os pagamentos; 
  • A maioria dos jogadores não recebe direitos de imagem. Só os “com mais grife” que recebem;
  • O clube se deu por satisfeito e o acordo faz parte de uma série de medidas de contingência que vêm sendo adotadas desde o início da pandemia. Mais medidas podem ser tomadas caso a situação fique mais grave e todos no clube estão cientes da situação e dos processos de contingência; 
  • Palavras da pessoa com quem conversei: “Este plantel é totalmente fechado com o clube. Já vi jogador aconselhar outro a não processar o Grêmio. Já vi jogador dizer que é proibido este plantel ferrar o Grêmio, pois é um clube correto e que cumpre com o que é acordado com todos, sem exceção, diferentemente de vários clubes no país.” 

  • A economia será de R$ 6 a 7 milhões por mês durante meio ano. É como se o Grêmio conseguisse um empréstimo de cerca de R$ 40 milhões com juro quase zero e seu pagamento diluído durante dois anos.

Temas:

Leia também


Comentários

Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.