arrow_drop_down
search
Habemus Gabriel Veron

Futebol Palmeiras

Habemus Gabriel Veron, joia da base estreia no Brasileirão em ótima atuação

Partida contra o Red Bull Bragantino concede esperanças de aprimoramento aos palestrinos, principalmente após atuação do garoto de 18 anos, que entrou no segundo tempo e ajudou a equipe com gol e assistência

Bolavip

Habemus Gabriel Veron

Habemus Gabriel Veron

A manhã de domingo (06) trouxe boas novas ao Palmeiras em Bragança Paulista. Aguardado desde a retomada das atividades do futebol no pós-quarentena, Gabriel Veron fez a diferença ao entrar no jogo contra o Red Bull Bragantino pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro. Embora ainda tenha apresentado as dificuldades habituais de finalização no primeiro tempo, o Palmeiras se mostrou um time mais coordenado.

Sol intenso e um Bragantino mais ofensivo foram as dificuldades do Verdão na primeira etapa. Mas a zaga se mostrou firme. O Palestra de Vanderlei Luxemburgo parece não ter grandes problemas no setor. Sai Felipe Melo, entra Luan, sai Luan, entra Vitor Hugo, enfim, a defesa que ninguém passa, como diz o hino, segue segura. Um momento de pane e infelicidade de Gustavo Gómez resultou no gol do time da casa, mas as peças costumam funcionar no sistema defensivo alviverde.

Entre contusões e suspenções a rotatividade da zaga do Verdão dá conta do recado, Vitor Hugo fez boa partida ao entrar no lugar de Luan suspenso (Foto: César Greco/Ag. Palmeiras)

Mesmo atrás no placar, o Palmeiras buscou o jogo, porém correndo atrás de Artur, pois o atacante, que começou na base palmeirense, deu bastante trabalho. A "lei do ex" que tanto ajudou o Palestra nas últimas partidas parecia que pendia para o RBB. No entanto, outro nome da base do Palmeiras, porém vestindo a esmeraldina, entrou para brilhar: Gabriel Veron.

Após bela assistência de Gabriel Menino em cruzamento pela direita, Veron subiu para cabecear e empatar. Curiosa a partida de Menino, pois no rescaldo das partidas anteriores Luxa foi bastante criticado por tê-lo deslocado mais para a ponta do ataque. De fato, nos jogos que atuou por esta faixa do campo, ele ficou ofuscado, tanto que iniciou o jogo mais centralizado ao lado de Patrick de Paula. Sua atuação melhorou e ajudou muito a equipe, todavia, quando foi novamente deslocado para a ala direita.

Os dois meses de espera para ver a joia da base no time principal foram compensados na belíssima assistência feita por Veron para que Willian Bigode se reencontrasse com o gol. Palestra 2 x 1, virada que começou a ser construída após um brilhante lançamento de Raphael Veiga. O camisa 23 entrou bem no lugar de Lucas Lima, que, embora discreto, não comprometeu. Luxa parece ter encontrado dois nomes que podem progredir na tarefa de alimentar o ataque verde.

O vice artilheiro do Palmeiras na temporada faz as pases com o gol e faz o seu primeiro no Brasileirão, Willian Bigode o homem da virada Palestrina em Bragança (Foto: César Greco/Ag. Palmeiras)

O profexô foi bem, suas alterações impactaram o time, já que trouxeram a vitória no jogo que o técnico completava 400 partidas no comando alviverde. Alívio para prosseguir, para preparar o time durante a semana, pois tem Dérbi na quinta-feira (10). É fundamental chegar para um jogo desse porte com certo estofo.

No final da partida, em entrevista coletiva, Vanderlei desabafou ao dizer que as críticas ao trabalho estão exageradas e que ninguém enxerga os atributos de uma equipe que sagrou-se campeã paulista, que só perdeu duas vezes na temporada. Faz sentido, afinal mesmo com algumas teimosias que enervam o torcedor palestrino, Luxa tem méritos de valorizar a base e semear incentivo e ânimo em jogadores como Lucas Lima e Raphael Veiga, por exemplo.

Raphael Veiga entrou para um cerebral lançamento que possibilitou a Veron dar a assistência para o gol do Bigode (Foto: César Greco/ Ag. Palmeiras)

Da mesma forma, aos poucos, a base palestrina vai ocupando os espaços que vão sendo confiados a quem acabou de subir para o profissional. Ao tirar Patrick de Paula que teve atuação apagada, Luxa lançou Danilo, meia de formação que, de maneira versátil, atua como volante. Entrou bem, com firmeza no apoio defensivo e qualidade no passe. Assim como De Paula, tem postura de veterano pela segurança madura que apresenta no gramado.

Danilo entrou com personalidade no meio campo Alviverde, mais um talento promissor saído da Academia, nas divisões de base atuou em um meio campo em que tinha Patrick e Gabriel Menino. As revelações começam a se apropriar do meio campo do Palmeiras (Foto: César Greco/Ag. Palmeiras)

E assim o Palestra segue invicto, de olho na base que prospera e em busca de correções que possam fazer o time mais competitivo. Domingo que presenteou o palmeirense com a sensação de que há um caminho possível para seguir no primeiro escalão do campeonato. Há uma construção, o desafio é sustentá-la.                                                                                         

Temas:

Leia também


Comentários

Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.