arrow_drop_down
search
Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Futebol Cruzeiro

Cruzeiro x URT: mais "encorpado", Enderson define time com Brey, Jean e Stênio para volta ao Mineiro

Após quase quatro meses de parada por conta da Covid-19, Raposa retorna ao futebol de técnico e "caras" novas dentro das quatro linhas. Time celeste precisa de duas vitórias nas últimas rodadas da primeira fase para avançar ao mata-mata do Estadual

Bolavip

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Neste domingo (26), às 11h (horário de Brasília), o Cruzeiro volta a campo depois de mais de quatro meses de paralisação do futebol por causa da pandemia do novo Coronavírus. A espera e a saudade, enfim, terminaram. Com uma equipe mais “encorpada”, o time de Enderson Moreira, que também fará sua estreia no comando celeste, deve aparecer contra a URT com muitas modificações na escalação se a base for o último jogo disputado pelo clube, em março, diante do Coimbra.

Naquela ocasião, o Cruzeiro era ainda comandado por Adílson Batista e foi a campo da seguinte maneira (4-4-2): Fábio; Jadsom, Ramon, Marllon e Rafael Santos; Ariel Cabral, Jean (Judivan), Maurício e Éverton Felipe; Thiago (Marcelo Moreno) e Alexandre Jesus (Jhonata Robert). 

Daquela partida até o presente momento, 4 jogadores não estão mais no elenco para a sequência da temporada. Rafael Santos foi emprestado à Chapecoense; Éverton Felipe foi emprestado pelo São Paulo ao Atlético-GO; Jhonata Robert foi devolvido ao Grêmio e Alexandre Jesus retornou ao nosso time sub-20.

À época, o colombiano Iván Angulo não havia chegado, mas está deixando o clube de volta ao Palmeiras, já que o Alviverde perdeu Dudu para o Al Duhail, do Catar, e o jovem Gabriel Veron por lesão. O Cruzeiro ainda tenta a permanência do atacante, mas admite ser uma negociação complicada. Ele, ao menos, deve jogar contra a URT - Vanderlei Luxemburgo pede seu retorno na segunda (27).

De volta de empréstimo, Brey terá chance na LE na vaga de João Lucas contra a URT (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Durante a pandemia, mais reforços chegaram para somar forças nesse processo difícil e gradual da construção de um novo Cruzeiro: os laterais Raúl Cáceres e Giovanni, os meias Claudinho e Régis, o atacante Gui Mendes e as crias da Toca recém promovidas ao time profissional, o zagueiro Paulo e os atacantes Riquelmo e Stênio. Além das peças citadas, outros nomes retornaram de empréstimo para ajudar o esquadrão cinco estrelas, casos do goleiro Lucas França e do lateral/meia Patrick Brey.

Nas duas rodadas que faltam para o término da primeira fase do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro estará bastante pressionado e vai precisar vencer os dois jogos restantes se quiser avançar na competição. URT, no Mineirão, e Caldense, em Poços de Caldas, são os nossos próximos adversários. 

Sem público em virtude do cumprimento das solicitações dos órgãos de saúde, o Cruzeiro dos 9 milhões de torcedores assim deve encarar a URT:

Fábio; Cáceres, Léo, Cacá e Patrick Brey; Ariel Cabral, Jean, Régis e Angulo; Stênio e Marcelo Moreno.

Maurício e Jadsom, destaques no primeiro semestre, estão suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Hoje, o Cruzeiro se encontra em 5° lugar na classificação com 14 pontos, a três de diferença para a Caldense, curiosamente seu último adversário nessa primeira fase do Estadual. 

Com isso, uma vitória sobre a URT é fundamental para pressionar a equipe de Poços de Caldas, que encara, neste domingo, o lanterna Tupynambás, fora de casa. Para a Raposa, é vencer com boa margem o time de Patos de Minas para poder chegar à última rodada com chances de classificação contra a "Veterana". 

No melhor dos cenários desta penúltima rodada, em caso de vitória do Cruzeiro e derrota da Caldense, ambos ficariam empatados com 17 pontos. Se a Veterana empatar e a Raposa ganhar da URT, a diferença para a última rodada seria de apenas um ponto (18 a 17) e bastaria ao time de Enderson vencer em Poços para garantir vaga na semifinal. 

Agora, se a Caldense confirmar o favoritismo diante do Tupynambás e o Cruzeiro vencer a URT, o saldo de gols seria o único critério para o time celeste acreditar em classificação. Um triunfo direto só seria suficiente se a equipe de Enderson tirar a diferença no SG, que hoje é de 6 a 2 para a Alviverde de Poços. 

Após um longo período sem jogos, vem aí um grande teste para nos preparar para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro e na tentativa de prosseguir na Copa do Brasil!

Temas:

Leia também


Comentários

Cadastre-se

Você pode receber as últimas notícias na sua caixa de E-mail.