Está cada vez mais comum as empresas cobrarem dívidas por WhatsApp, no lugar das ligações telefônicas. A prática não é ilegal mas é preciso tomar todos os cuidados antes de fornecer dados pessoais ou realizar pagamentos. Veja a seguir dicas de como evitar fraudes. 

De acordo com o especialista Afonso Morais, do escritório Morais Advogados, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) as cobranças são autorizadas desde 2013. "Muitas pessoas têm vergonha de falar no telefone sobre a dívida. Então, por mensagem, podem responder quando estiverem sozinhas, além de ter mais tempo para avaliar se o parcelamento é vantajoso e se cabe de fato no orçamento", afirma Morais.

As empresas precisam respeitar algumas regras básicas como: não enviar mensagens todos os dias, dando um espaçamento mínimo de 48 horas entre os contatos, não fazer ameaças para pressionar o pagamento nem usar palavras desrespeitosas. É necessário ficar atento quando há cobranças com descontos muito altos, isso pode sinalizar fraude. 

Dicas para não cair em golpes

No primeiro contato, a empresa deve se identificar. Caso contrário, entre em contato com a empresa por outro meio de comunicação e certifique se a companhia tem a prática de fazer cobranças por WhatsApp. Evitar clicar em links, ao fazer uma cobrança e a negociação entre as partes, é emitido um boleto para a quitação.

Avalie se a proposta é coerente. Se a proposta for muito boa, desconfie. Confira os dados na hora de realizar o pagamento, confira o código do banco e o nome do beneficiário. É necessária a apresentação de um CNPJ no boleto.